Com pênalti polêmico, Bangu e Desportiva-ES empatam por 2 a 2

Rogerinho faz dois para o Alvirrubro, mas equipe acaba surpreendida no final do jogo

O Bangu foi até Cariacica, na Região Metropolitana de Vitória, para enfrentar a Desportiva-ES na tarde deste sábado, 10, pela 4ª rodada do Campeonato Brasileiro Série D. No estádio Engenheiro Araripe, Rogerinho abriu o placar de pênalti no início da partida, ampliou no segundo tempo, mas João Victor e Sorriso, em lance suspeito, acabou empatando o jogo em 2 a 2.

Com este resultado o Bangu chega a sete pontos no Grupo A13 e segue liderando a chave. A Desportiva-ES vem logo abaixo com cinco pontos e na sequência aparecem Villa Nova-MG, com quatro pontos, e Portuguesa-SP, com três. Os dois últimos colocados se enfrentam neste domingo, 11.

O Bangu volta a campo no próximo sábado, 17, contra a Portuguesa-SP, às 19h, no Canindé, em São Paulo.

A partida

Nem a baixa temperatura de Cariacica foi suficiente para deixar que Desportiva-ES e Bangu esfriasse. Assim que se iniciou a partida, o Bangu já começou pressionando a saída de bola dos mandantes, que acabou cedendo. Na ofensiva, Marlon, do Bangu, recebeu boa bola na frente e acabou derrubado pelo goleiro Felipe na área e o árbitro marcou pênalti. Rogerinho foi para a cobrança, deslocou o goleiro e abriu o placar: 1 a 0 para o Bangu.

Em desvantagem no placar a Desportiva-ES começou a colocar o time para a frente. Bem posicionada, a zaga do Bangu conseguia anular com segurança as infiltrações adversárias e buscava saída pela direita, exigindo bastante do meia-atacante Rogerinho que criava a maior parte das jogadas ofensivas.

O Bangu começou a arriscar jogadas áreas que conseguiam ser tiradas pela zaga da equipe Grená. Aos 32 minutos em escanteio Anderson Penna quase ampliou após cobrança de escanteio. A bola passou muito perto do gol de Felipe.

O jogo equilibrou, com ambas as equipes procurando a posse de bola para si. Disputando com afinco, Hygor e o zagueiro grená Rafael Olioza acabaram se desentendendo e o árbitro expulsou os dois atletas, deixando 10 para cada lado.

No segundo tempo a equipe do Bangu voltou mais precavida. A Desportiva avançou mais e começou a criar chances de perigo. Com isso, também ficou mais exposta, fazendo o Bangu responder com mais incisão. Tanto que em contra-ataque aos 12 minutos do segundo tempo, Léo Bahia puxou com velocidade, avançou e encontrou Rogerinho livre de marcação que encheu o pé para fazer 2 a 0.

A partir daí, os mandantes voltaram a colocar mais pressão. Aos 35 minutos João Victor diminuiu e aos 50 minutos, em pênalti duvidoso, Sorriso empatou por 2 a 2 dando números finais ao confronto.