De conquistas regionais a triunfo em mundial, Departamento de Futebol de Mesa do Bangu completa 10 anos

Coordenado por Marcelo Coutinho, futmesa alvirrubro ainda encontra barreiras mas se destaca como uma das referências na especialidade

Nesta quinta-feira, 16, o Departamento de Futebol de Mesa do Bangu completa uma década de perseverança e triunfos. Sua mais recente conquista expressiva foi o Sul-Americano da modalidade chapas, que Abel Cepa garantiu na Argentina há pouco mais de um mês. Mas desde 2011, seus atletas vêm se portando com grandeza em competições internacionais, como no Sul-Americano daquela ocasião, em que Marcelo Coutinho foi integrado à Seleção Brasileira e foi campeão na modalidade subbuteo. Outro importante feito, foi a conquista do Mundial de 12 toques, também com o Brasil, que Marcelo Coutinho buscou na Hungria em 2015.

Composto por 12 atletas, o Bangu Futmesa se consolidou como um dos principais expoentes neste esporte, tanto jogando pelo clube quanto com atletas convocados pela Seleção Brasileira do segmento. Mas todo esse esforço não é de hoje, argumenta o coordenador de futebol de mesa banguense Marcelo Coutinho. Segundo ele, com mais de três décadas dedicadas a esse esporte, foi alinhado um planejamento que promoveu o desenvolvimento nas principais categorias disputadas ao redor do mundo.

– Implantamos o futmesa no Bangu em 2007, mas entre 2010 e 2011 resolvemos nos dedicar exclusivamente a modalidades internacionais. Esse traçado foi escolhido por uma série de motivos conforme os novos desafios que as principais modalidades oferecem. São consideradas modalidades internacionais no momento a 12 toques, que foi criado no Brasil, o sectorball, o subbuteo e o chapas. Por não termos um contingente muito grande, nosso grupo joga todas estas modalidades, diferente dos demais clubes expressivos, que tem um grupo para cada especialidade. Com isso, conseguimos nos consolidar como referência em todas estas opções, nos tornando aptos para disputar os demais torneios no mesmo nível – explicou Marcelo Coutinho.

Mas nem tudo são flores para os botonistas alvirrubros. Neste Sul-Americano apenas o atleta Abel Cepa esteve presente, por conta das dificuldades em conseguir captar recursos. Por esta razão, o desenvolvimento do futebol de mesa caminha a passos lentos e esses desfalques no grupo acabam sendo recorrentes quando é preciso se deslocar para um torneio longe do Rio de Janeiro.

– Ainda há quem acredita que nosso esporte é apenas uma brincadeira, o que não é verdade. Não é à toa que o futebol de mesa tem em todos os clubes de grande destaque como Vasco da Gama, Corinthians, Palmeiras, Flamengo, dentre outros. Os campeonatos são organizados em várias partes do mundo com muita seriedade, só que infelizmente aqui existe o receio em investir neste esporte por parte de empresas. Procuramos mudar isso apresentando esta credibilidade, já que temos as federações estaduais, a Confederação Brasileira de Futebol de Mesa (CBFM) e a Federação Internacional de Futebol de Mesa (FISTF) que difundem este esporte no Brasil e no mundo, ou seja, toda uma estrutura que é oficialmente reconhecida como qualquer outra modalidade esportiva – complementou Marcelo Coutinho.

Atualmente o Bangu Futmesa é composto por Abel Cepa, Bruno Coutinho, Daniel Coutinho, Domingos Carneiro, Ernesto Silveira, Jaime Pereira, Marcelo Coutinho, Nelson Trindade, Pablo Cesar, Paulo Costa, Rodrigo Fialho e Zenon Palitot.

No último dia 4, na Sede Aquática do Bangu, foi organizada a VII Copa Jubileu, que comemorou os 10 anos de atividade do Bangu Futmesa, incluindo as equipes do Aliados (Campo Grande), Amparo (Nova Friburgo), Tupynambás (Minas Gerais) e Vasco da Gama. Ex-atletas que fizeram parte do plantel do Bangu também confraternizaram.

Equipe de Futmesa do Bangu

João Carlos Gomes