Alfredo Sampaio avalia classificação do Bangu à semifinal da Taça Guanabara

Treinador comemora vaga e projeta partida contra o Boavista

Foi de tirar o fôlego, mas o Bangu cumpriu com maestria a sua missão em Cabo Frio para chegar à semifinal da Taça Guanabara na tarde de ontem, 5, no Estádio Alair Corrêa. A vitória por 2 a 0 sobre a Cabofriense, com gols de Michel e Anderson Lessa, pôs fim ao jejum de seis anos longe de uma fase decisiva de turno do Campeonato Carioca. E a classificação teve um gosto especial para Alfredo Sampaio, terceiro técnico com mais jogos à frente do Alvirrubro e que disputa o seu 20º Estadual. Confira alguns dos principais tópicos da entrevista pós-jogo:

Classificação
– Começamos com a vitória contra o Vasco, depois demos duas tropeçadas em casa e chegamos no último jogo com a obrigação de vencer. Felizmente conseguimos ter uma boa atuação, dentro do que permite o campo de jogo. Será muito bom para o clube disputar essa semifinal.

Condições do gramado
– Falei para que o time tivesse cuidado com o jogo no chão. O campo não permite conduzir a bola e, em alguns setores, não haviam condições. E é uma pena. Se o jogo tivesse sido num campo melhor, a qualidade do espetáculo seria muito maior.

Boavista pela frente
– Eu passei uma situação como essa quando fui campeão com o Madureira. Na época (2006), jogamos a semifinal contra o Americano. Teoricamente pode ser considerado menos complicado, mas é um jogo com outra característica. Se você joga contra um grande, tem todo uma torcida pressionando contra e é um jogo mais técnico. Contra equipes de menor investimento, tende a ser um jogo mais aguerrido e de confronto. Felizmente me saí bem numa situação dessa e espero sair de novo.

Alfredo não contém emoção e é abraçado pelo meia Eberson (Foto: João Carlos Gomes/Bangu)

Alfredo não contém emoção e é abraçado pelo meia Eberson (Foto: João Carlos Gomes/Bangu)

Almir
– No jogo em que o Almir não entrou, foi porque o Nova Iguaçu tem um time jovem e de velocidade. Ele vem ainda de uma lesão, se recuperou bem, mas é mais complicado ir logo num jogo de correria, 16h em Bangu. Tirei somente por isso. Hoje (ontem) já foi um jogo que precisava de experiência e peso dentro de campo. O Almir sabe comandar a equipe nestas situações e nos ajudou bastante.

Confiança
– A gente tem que trabalhar no futebol sempre acreditando. Caso contrário, você trabalha sem objetivos. Algumas pessoas confundem o sonho com arrogância, mas não é. São garotos, estão começando uma carreira e estão sonhando. Hoje é festa e amanhã já é foco no Boavista.

A partida contra o Boavista ocorre na próxima quinta-feira, 8, às 17h, no Estádio Nilton Santos, no Engenho de Dentro.

Emerson Pereira