Planejamento, desafios e cuidados: a preparação física do Bangu

Montar um time competitivo vai além de colocar 11 jogadores em campo. Fora dele, há uma série de pessoas que, dentro de suas áreas, fazem o melhor para que o Bangu brilhe durante o Campeonato Carioca. Sob os cuidados de Fabrício Abreu e Gustavo Teixeira, a preparação física do Alvirrubro mais uma vez se destaca no início de temporada. E até o bom desempenho dentro das quatro linhas, um trabalho minucioso é feito:

– Para ter início, todo planejamento é preciso de uma avaliação do elenco para saber a forma que o atleta se apresenta ao clube para, aí sim, direcionar de forma individualizada toda periodização para que possamos ter um grupo menos heterogêneo possível no início da competição. Uma vez com as avaliações realizadas, elaboramos a evolução do treinamento de força em conjunto com trabalho de prevenção de lesão – explica Fabrício Abreu, que continua:

– Começamos melhorando a resistência muscular do atleta, nivelando a diferença de um grupo com relação a outro. Todo inicio é necessário começar melhorando a capacidade aeróbia dos atletas. Toda evolução das valências físicas são feitas de forma específica com treinamentos mais próximo da realidade do desporto – completa.

A intensidade dos treinamentos na pré-temporada são reduzidos durante o período de competição. Segundo Gustavo Teixeira, o preparador físico tem outra função para deixar a equipe em condições de ter um bom rendimento:

– Nesta fase, funcionamos como recuperadores físicos, haja vista que em sete dias tivemos três jogos de alta intensidade. A parte mais importante, agora, é deixar os atletas em condições para a próxima partida. Nós fazemos um trabalho de força para liberação hormonal que vem dando certo desde o ano passado – aponta o preparador.

Visando a partida contra a Cabofriense na quinta-feira, 31, o Bangu realizará o segundo treinamento na semana na tarde desta terça, em Moça Bonita, Zona Oeste.

Assessoria de imprensa