Ado revela misto de sentimentos após o Campeonato Carioca: ‘Feliz e triste’

Ídolo do clube, atual treinador fala em legado e projeta o clube voltando a realizar grandes competições

Orgulho resgatado. Se há uma frase que pode definir a relação do Bangu com seus torcedores, é essa. Terceiro colocado no Campeonato Carioca, o Alvirrubro ficou com um gosto de “quero mais” ao ser eliminado na semifinal para o Vasco da Gama, neste domingo, no Maracanã. Apesar da tristeza do resultado (2 a 1), satisfação pelo comportamento – mais uma vez – superior ao do adversário. Auxiliar técnico desde 2014, o ídolo Ado assumiu pela primeira vez o comando da equipe na terceira rodada da Taça Rio, 24h antes da partida contra o Volta Redonda.

De lá até aqui, a equipe quebrou barreiras, fez a melhor campanha da fase classificatória do returno, garantiu-se na Série D do Brasileiro e na Copa do Brasil, chegou em duas semifinais, além de igualar uma série de vitórias que o Alvirrubro não conseguia desde 1987. Entre a alegria da campanha e a dor da desclassificação, Ado exalta a volta do orgulho de ser banguense.

– Fico feliz pelo reconhecimento de todos, mas é claro que estou um pouco triste porque não chegamos na final. Agora é bola para frente. Deixamos o time em mais duas competições para o ano que vem e vamos avaliar o trabalho neste campeonato. Acho que a torcida está satisfeita porque acordamos novamente. O Bangu é um país para os seus torcedores e o time é a sua seleção. Não vamos esquecê-los e sei que eles também não vão esquecer a gente. Espero que o clube siga motivado e faça grandes campeonatos daqui em diante – afirma.

Ciente de que muito atletas poderão deixar o Bangu por conta do destaque apresentando em campo, Ado prefere destacar o legado deixado por todos na bela campanha no Campeonato Carioca. Recolocar o Alvirrubro no hall das grandes equipes novamente, para ele, é motivo de satisfação.

– Vamos perder alguns jogadores, mas vamos buscar outros para ter um grande ano em 2020. Acredito que esses meninos deixam um legado de união para o clube. Mostramos que podemos fazer de novo um Bangu forte, sendo grande e vitorioso, trabalhando com humildade e dedicação. Estou muitíssimo satisfeito – ressalta Ado.

Em 2019, o Bangu volta a campo em 3 de julho, às 15h, para encarar o vencedor do confronto entre Maricá e Friburguense, pela terceira fase da Copa Rio, fora de casa.

Emerson Pereira