Jairinho fala que Bangu tornou-se uma família e se emociona: ‘Parece que eu nunca vou jogar num grupo igual a esse’

Meia foi considerado um dos melhores em campo no desafio da semifinal do Campeonato Carioca

O Bangu foi incisivo e guerreiro até o último minuto, mas não conseguiu evitar o revés por 2 a 1 para os vascaínos no Maracanã neste domingo, 7. Responsável por dar velocidade no setor ofensivo, Jairinho avalia o duelo que definiu o finalista do Estadual.

– Nosso ritmo de jogo desde o último contra eles foi mais intenso. Precisávamos do resultado e fomos buscar isso. Empatamos, mas não sei o que aconteceu muito bem e eles acabaram fazendo o segundo gol. A gente tentou, buscou, sempre respeitando o Vasco, mas esse placar final aí… é futebol – diz.

Mesmo que o sentimento de frustração tenha vindo por alguns momentos, a marcante campanha que deixa o time da zona oeste carioca como terceiro melhor do Rio de Janeiro, reforça o empenho que o time aplicou em cada desafio dentro das quatro das linhas.

– Foi o trabalho no dia a dia. Foi muito gratificante pelo grupo e por essa família que a gente criou. Fomos parabenizados com duas classificações para duas competições – diz Jairinho que continua:

– Fica um legado de família nesse grupo. Já estou sentindo saudade. Parece que eu nunca vou jogar num grupo igual a esse. Fica um pouco de tristeza e um pouco de felicidade, mas é isso. Parabéns para todos nós – reforça.

O Bangu garantiu vaga no Campeonato Brasileiro Série D e na Copa do Brasil da próxima temporada pela campanha realizada neste Carioca.

João Carlos Gomes