De casa, Bangu mantém rotina de trabalho por videoconferência

Comissão técnica se reúne diariamente e alinha diretrizes para acompanhamento dos atletas

A paralisação do futebol por causa da pandemia do coronavírus rendeu aos clubes de futebol uma reavaliação na forma de trabalho. Pela importância do isolamento social para evitar a propagação do Covid-19, o Bangu tem apostado na tecnologia para reafirmar o compromisso de olho na Série D do Campeonato Brasileiro e na sequência do Campeonato Carioca.

De casa, o técnico Eduardo Àllax, o coordenador de futebol Juninho Martins, o supervisor de futebol Mário Emílio Xavier, o preparador físico Fabrício Abreu e demais membros da comissão técnica se reúnem por videoconferência pelo menos uma vez ao dia para reforçar a metodologia e propostas de jogo da equipe alvirrubra.

– Além da habitual reunião diária também podem ser organizadas reuniões setorizadas no decorrer do dia. Os encontros virtuais têm o objetivo de traçar metas e direcionamentos para o retorno da equipe às atividades. Nossa principal meta do ano é a busca pelo acesso à Série C nacional para 2021 – explica o preparador físico Fabrício Abreu.

A conexão também se alinha aos atletas, que recebem acompanhamento virtual para seguir o aperfeiçoamento físico em casa. O condicionamento vem sendo observado pelos preparadores físicos Fabrício Abreu e Gustavo Teixeira, que atuam junto com o fisiologista Bruno Barrosa.

– Observamos evoluções e possíveis adaptações na sugestão de treino elaborada pela comissão técnica e, sempre que possível, suprimos necessidades no aspecto nutricional com o Felipe Abreu – garante Fabrício.

No Campeonato Carioca, o Bangu entrou em campo pela última vez no dia 15 de março, pela terceira rodada da Taça Rio, empatando por 1 a 1 com o Botafogo, no Estádio Nilton Santos.

João Carlos Gomes